Técnica de pirografia

A pirografia é um antigo tipo de artesanato que se caracteriza pelo processo de desenhar na madeira usando uma ponta de metal quente. A técnica permite a criação de diferentes tipos de objetos, como quadros e outros objetos decorativos.

Ferramentas básicas

Para começar a criar os primeiros trabalhos de pirografia, é preciso investir em ferramentas básicas. O pirógrafo é um deles, com estilo ferro de solda que aceita variadas formas de ponta. A caneta elétrica também é necessária.

As pontas para pirógrafos proporcionam marcas leves e pesadas, garantindo padrões diferenciados. Para limpar o material, deve ser usado amolador de couro e óxido de alumínio.

Por medida de segurança, uma vasilha de barro serve para segurar o pirógrafo quando ele estiver quente, evitando queimaduras.

Tipos de madeira

A madeira usada na pirografia deve ser macia, com a vantagem do custo menor e maior facilidade de queimar. Já as mais duras são caras e resistentes ao calor, por isso não dão um bom contraste quando queimadas. São aconselháveis os seguintes tipos: freixo, pinho, ácer, tília e bétula.

Como é feito o trabalho

Antes de começar o trabalho, a madeira deve ser lixada para que os detalhes apareçam nitidamente na superfície. Em seguida, o desenho é passado para o material e contornado com o pirógrafo. A forma tradicional conta apenas com o contorno, mas há artesãos que preferem adicionar efeitos 3D, com texturas e sombras. Também é possível adicionar cores à gravura, usando pincel e tinta aquarela. Porém, não é qualquer tipo de imagem que combina com o efeito colorido. Para dar um toque final, pode ser aplicado verniz na peça.

A pirografia é um artesanato que demanda tranquilidade e espaço adequado para ser feita. É diferente do crochê que pode ser feito a qualquer momento, na frente da televisão ou no ônibus. A técnica exige um ambiente arejado, já que a madeira solta fumaça.